quinta-feira, outubro 08, 2009

Amor Eléctrico...

Indignação é a palavra chave!

Vivemos envoltos dele, rodeamos a mente com as pequenas ilusões que ele traz... Criamos e tornamos a criar, teimamos em não deixar o ser sucumbir.

É eléctrica e frenética toda esta corrida que fazemos para ansiar o tal oásis prometido... 

Transportamo-lo em mãos, no coração e em todas as acções... Queremos levá-lo para um lugar seguro, longe do ócio e da comodidade, longe dos olhares derrotistas do passado, aqueles olhares que nos teimam em condicionar o futuro... Deparamo-nos com obstáculos cruéis e injustos a toda uma luta que só quer ser isso mesmo, uma luta... genuína!

Poderia somente bastar a diferença, o assumir do risco e a liberdade ansiada para que tudo fosse um pouco menos pesado e desgastante. Mas não! A diferença faz com que desacreditem no sentimento que possuímos! O assumir do risco acaba por ter o nome de irresponsabilidade... E a liberdade que se espera ansiar é então mais difícil de obter.

Enquanto o amor for encarado como algo frenético, histérico e sintético não passará de uma guerra de interesses, de uma necessidade de realizações superficiais e pobre em profundidade de carácter.

Tenho preferido ficar-me pelo eléctrico... Aquele que se move a entregas e realizações profundas! Aquele que activa todas as células do corpo e inunda a cabeça com ideais transcendentes. Aquele que abana o mundo e faz-nos sorrir que nem uns parvinhos!

Mas até esse tem defeitos... Até esse está contra mim. Até esse abusa de mim! Se for para isto mais vale nunca mais tentares! Se for para isto acabarei por te trocar por um... ético! (E eu não quero...)


2 comentários:

Bruno disse...

se calhar se não fosse assim também não tinha graça.

Isabel disse...

Gostei ^^