segunda-feira, junho 02, 2008

Eyes Wide Shut?!

Dou um passo em frente rumo a um futuro incógnito, rumo ao admirável mundo novo de que todos falam... Vou atingindo-o aos poucos... No entanto, dizem que se encontra pintado das cores do arco-irís... mas eu não as vejo! Vejo antes um rasto branco, misturado com o preto dos meus olhos semicerrados... Há ali qualquer coisa que precisa de definição e não me encontro com essa capacidade... As formas misturam-se e as linhas deixam de o ser... Visualizo pontos isolados. Pontos ocasionais ou já foram linhas e formas e teimaram em regressar à mediocridade? Tenho medo desse retrocesso. Será que pensas que ele existe em mim? Ou estarei somente na fase de repouso? Eu prometi que iria sempre pintar com tinta permanente e nunca a grafite para não me habituar à facilidade da borracha... Mas... Seria mais fácil não seria? Seria menos complicado... Não teria de lidar com decisões nem com responsabilidades... Mas perderia todo o encanto. Perderia toda a capacidade de ver as tais cores que me querem mostrar... Sim! Porque ainda há quem tenha a capacidade e a ousadia de me desafiar, de mexer com aquele bichinho que tenho dentro de mim... Há quem me queira ajudar a abrir os olhos e a lutar comigo na direcção da nitidez sincera do mundo desfocado de hoje. Gosto da forma dura como me têm mostrado o caminho. Gosto da forma como me sustentam, até terem a certeza que usarei da melhor forma a força que me ajudaram a criar. Gosto de quando forçam uma lágrima, pois sabem perfeitamente que atrás dessa virão muitas mais e que o espírito será um pouco mais liberto... Gosto de quando me ensinam não só a olhar mas, especialmente, a ver: a ver o interior e a olhar o exterior. Conseguem que conjugue estas duas capacidades numa só. Gosto do espicaçar da perspicácia e da persistência... Gosto dos enigmas diários e de sentir que tenho que lutar para conseguir obter algo... A adrenalina inerente ao incógnito faz-me ter a percepção de que só quando tiver a capacidade de ver tudo o que me rodeia de olhos fechados, serei capaz de alcançar as cores do admirável mundo novo e toda uma definição que parte, primeiro, de uma consciência pessoal do que se pretende obter da incalculável estadia...


1 comentário:

Inês disse...

Existem diamantes onde quisermos.
O sol e a lua que tu vires é o mesmo que eu vou ver......sê feliz