segunda-feira, janeiro 26, 2009

Aprendendo...


Subi as escadas e fui de encontro ao teu baú! Abri-o sem que mo permitisses e vasculhei imenso... Precisava de encontrar algo que um dia te dei e que me fizesse acreditar no que um dia fui... E encontrei isto...


Lá fora... Cá fora... Fora do mundo que julgas ser seguro e que se ergue para que possas encontrar o abrigo, o teu abrigo... É difícil encararmos o mundo cá fora. Ele traz-nos muitas angústias, muitos medos, acabamos por nos confrontar com um retrocesso no nosso eu.


Moldamo-nos de acordo com situações passadas e que teimam em marcar uma vida... Moldamo-nos ao que de bom nos acontece mas, infelizmente, moldamo-nos ainda mais ao que de mal nos acontece.


Vamos ganhando resistências, nem sempre as melhores... Mas é disso que somos feitos... Vivências, sentimentos, loucuras, riscos, decisões... Há matéria dentro do nosso ser que tem que ser aproveitada da melhor forma possível. E dentro de ti há tanto... Tens que aproveitar da melhor forma.


Podes parar e olhar para trás? Não tem sido nada fácil, pois não? Parece que o tempo teima em acelerar o processo das coisas e quando pensas que é agora que podes respirar um pouco melhor, voltas a perder a respiração.


Mas podes parar e olhar para trás, só mais um pouquinho? Vês quem esteve contigo nos momentos menos bons? Vês quem não desiste de ti? Vês aquelas pessoas que são tanto, só porque um dia partilhaste com elas o teu ser maravilhoso? Vês quem te ama e quem tu amas? Vês o que construiste até aqui?


É muito esforço envolvido. É muito de Ti desgastado... Mas também é muito de Ti realizado. E quando penso que não consigo ter forças para te dar, lembro-me daquele sorriso... Aquele grande e sincero sorriso que contagia. E, toda aquela alegria de viver, que tanto mostras. Acho que aí sinto uma força a nascer, bem dentro, no fundo de mim...


Porque um dia me disseste que estávamos unidos para não deixar apagar a chama da vida... Não é que a tua esteja apagada, mas o vento é forte... Demasiado forte até... É ele que traz a incerteza... Mas é ele também que traz a mudança, a mudança que temos de saber beber. Sem porquês!


Custa pensar assim. Mas custa muito mais tentar encontrar respostas lógicas para certas coisas... Até porque acho que essas respostas não existem...


São emaranhados de situações pontuais que criam toda a nossa vida. São as decisões, as inquietações, os devaneios e a vontade que determinam tudo o que hoje há para viver. E não és só tu que estás a passar por uma fase menos boa.


Une-te a alguém... Aquele alguém que tem sede de ajudar, ao mesmo tempo que pede para que o ajudem... Ou então deixa-te simplesmente ficar aí, mas abre o mundo a quem à tua porta bate.


Como tu próprio dizes "refúgios e pressas que nos cerram os olhos deixando-os cegos ao presente que se vive e perdidos num olhar do passado que retira a percepção do futuro..."


...E eu agora pergunto-te...


Vale a pena esse refúgio cego? Vale a pena lutarmos contra o tempo que não gosta de ser contrariado? E que andamos a perder nós? O que é que nos está a fugir sem que nos apercebamos?


Tanta coisa... Tanta coisa mesmo... As coisas boas escapam-se de nós em 3 tempos... As menos boas persistem... Ou melhor... O tempo que elas residem secalhar é exactamente o mesmo... Só que temos a pressa de ficarmos bem, não queremos a dor que teima em machucar o peito e cada vez mais vamos aumentando o seu peso. O peso da armadura que usamos como defesa...


Mas defesa de quê? De quem? Estaremos nós a defender-nos do que devemos? Ou defendemo-nos de quem nos tem tanto para dar, só porque achamos que não passam de meras miragens e, acabamos entregues àqueles que pouco ou nada querem fazer por eles e por nós? E porque teimamos em magoar as pessoas que dizemos especiais? Será que tudo o que recebemos não nos chega?


O egoísmo teima em nos cegar e pensamos que a melhor altura para dizer ou agir virá. Mas não há melhor altura do que o hoje, o agora, o já. Se todos conseguissem compreender isto, tudo seria um pouco mais simples... Pelo menos facilitava.


E se me permites um pouco mais a ousadia... Porque é que esperas pela segurança para arriscar? Porventura há algo seguro? Nem a vida o é...


Por isso se quiseres partir por momentos parte. Viaja mais uma vez com malas ou sem elas. Leva.te a ti mas volta. Volta como sempre prometeste que o farias... Porque eu ficarei à espera que voltes... Que volte o grande sorriso, a força, a destreza, o amor, a vida e o risco, tudo conjugado num grande Ser... Tu meu anjo... Tu!! =)


E, depois de fechar o teu baú, reflicto... Reflicto nas palavras que um dia de mim saíram mas que hoje voltam a entrar, simplesmente para me fazer acomodar no meu refúgio. Quero acomodar e encontrar, não respostas, mas incertezas certas que me farão transcender, que me quebrarão correntes tão fortes, que me aquecerão em forma de lareiras, mantas, abraços, sorrisos, fugas...


Um simples grito de alma que sopra no vento...


Cecy YY

2 comentários:

Patricia disse...

Olá linda,

De facto, é muito bom sentir esta força que nos dá ânimo para caminhar e não desistir, mas a caminhada é tão dura que nos faz querer desaparecer. Até que aparecem pessoas especiais que não nos deixam desistir e que se tornam no nosso porto seguro.
Pessoas que merecem toda a nossa dedicação e carinho, e por mais que as mimemos nunca será suficiente.
Este convívio está cheiinho delas, mas não é só no convívio que estão estas pessoas! Na vida real do quarto dia vou encontrando também tesouros assim.
Apesar de só ter estado quatro vezes contigo, tenho descobrido em ti um tesouro... tu podias ter simplesmente ficado a ver a nossa dedicação para com a equipa mas não foi isso que fizeste, tu mexeste-te, puseste essa tua cabecinha a funcionar e foste dado dicas para que tudo corresse da melhor maneira. E correu! Mas o mérito não foi só nosso.. .Também teu! Obrigada por isso! e graças a isto tudo ainda fomos tomar café juntas =)... Gostei de te ouvir... é bom ouvir pessoas que sabem exactamente o que estou a sentir pessoas que com o passar do tempo não deixaram de brilhar :)

Sem duvida, tu és como as bolinhas de sabão :D

Também eu quero um dia ser uma bolinha!!

bjoca menina sorrisos!

P.S. espero que agora não seja preciso um motivo cm aquele para nos voltarmos a ver e a marcarmos todas umas saídas :P

as outras duas meninas também são muito simpáticas... foi um bom bocadinho o que passamos todas juntas.. :)

PretenderJorge disse...

Sabes linda...vale a pena o refugio mesmo que ele seja cego e pouco seguro, vale a pena a luta contra e a favor do tempo. É verdade que este tempo detesta ser contrariado...mas pode ser, pode ser! é muito dificil conseguir isso, mas o refugio serve-me para isso e vou conseguindo algumas vezes brincar com o tempo. No entanto sinto que é uma luta desleal, porque ele tem a vantagem de não parar nunca...faz parte fugir e voltar com a força necessária para o iludibriar com uma magia que nos sustente a possibilidade de recuperar o tempo perdido com gestos e acções seguidas...mesmo que estas nos levem ao desgaste. Mas afinal a luta é isto mesmo, persistir e conseguir entender o tempo para o saber usar.

Dificil? Claro que sim, mas aprende-se aos poucos como faze-lo.

As coisas escapam-se é verdade mas podemos ao velas escapar-se entender e compreender melhor essas coisas e talvez algumas não fizessem sentido ter...então cabe-te a ti ir recuperar o que realmente precisas e sabes amiga...

...é bom este exercicio. Tudo o que nos cansa sabe cada vez melhor e sempre que consigas entender a cada momentinho teu assim, vais perceber o que te digo.


Eu sei que me queres ver bem, sei que me analisas a cada segundo que passas comigo, sei e entendo as ratoeiras que me colocas no caminho para perceberes as tuas duvidas que fundamentas na tua cabeçita linda.

Algumas vezes sabes que te dou o que procuras, mas nem sempre porque não pode ser assim como queres, nem sempre as coisas são como sonhamos que possam ser...a tua persistência é agradável e a tua inteligência aumenta a cada dia. Sabe bem visualizar tudo isto...sim porque agora tu já sabes que quando estás à procura de algo em mim, com os teus esquemas bem pensadinhos e sim...estás no caminho certo, eu também estou na minha constante observação. Apenas antes não entendias assim e não observavas com os teus olhos tudo isto, mas agora sentes e sabes.

Sabe bem entender os outros, sabe bem sentir que me queres ajudar e sabe bem observar a tua caminhada.

Tu fazes parte do meu cantinho de orgulhos simples, mas belos que levarei comigo para todo o sempre.

A minha existência teve um propósito? teve um herói?...teve. Não a entendo completamente ainda, mas vou descobrindo em cada olhar e acção vossa também.

As incertezas certas que me farão transcender, que me quebrarão correntes tão fortes...não vai parar de acontecer.

Olha é bom. é mau...é uma merda...e no entanto eu pintei a tela de novo com cores tão bonitas...sabes amiga...é terrivel aceitar telas em branco, mas é complicado começar a pintar de novo quando a mistura das cores por variadas que sejam tendem a ficar sempre em tons escuros.

A viagem ainda não acabou e ainda demoro a voltar, mas esta viagem permite-me estar presente pela primeira vez, não quero esconder-me...porque sonhei a viagem assim e quero mante-la desta forma...com todos, com ninguém...comigo em especial.


Beijos.