sexta-feira, novembro 27, 2009

Descomplicar Complicações II - O silêncio...

Esta semana a rubrica chegou um pouco mais tarde porque isto de ter eventos todos chiques à Quarta, dá tempo para tudo menos para reflectir sobre as complicações.

O tema desta semana é o silêncio. O silêncio é muito bom quando pretendemos pensar, descansar, passar tempo a sós, etc. No meio de uma relação pode ser causador de muitos estragos. Eu sei bem que há momentos passados no silêncio que são muito bons e necessários... mas estou a falar naquele tipo de silêncio que surge de repente e é sempre sinónimo de problema e dificuldade em admitir esse mesmo problema. Ora vejamos...



Menina X e Menino Y. São umas gralhas. Estão no início de um conhecimento mútuo e falam até não poderem mais. São mensagens, são telefonemas, é messenger, é vontade de fazer tudo e mais alguma coisa. Num dia Z, o menino Y decide começar a diminuir o grau de contacto porque não tinha a certeza do que queria, até ao silêncio. Andou nisto uns tempos. A menina X farta de tentar perceber o porquê deste radicalismo todo cansa-se e decide fazer silêncio também. Conclusão: É apelidada de amuada, de arrogante e vingativa porque está exactamente a fazer o mesmo silêncio. Agora digam-me: onde é que está a simplicidade? Era assim tão difícil ser sincero e explicar tudo? Caso não saibam, nós sabemos ser compreensivas e razoáveis.



Menina K e Menino W. A ligação já não estava famosa mas lá se fez um esforço para que a amizade vingasse. Convida-se para uma festa. Primeiro o menino W disse que sim mas depois disse que não dava. Tudo bem! Festas há muitas. A meio da tal festa recebe-se uma mensagem a informar que lá vai! Não vinha sozinho, como esperado, mas também não era por aí que havia problema. Farta lá de uma problemática de última hora, a Menina K bazou, não sem antes encontrar um amigo do W que ela não suporta. Esse amigo não queria chamá-la, ainda insultou a festa e a escola dela, estava lá com ar de enjoado e melhor, não foi directamente convidado. O W chega e a K baza, com o cuidado de lhe mandar mensagem a explicar que aquilo era muita confusão e no dia a seguir falavam melhor. O que resultou dali? Silêncio até hoje... E estamos a falar de amizades. Conclusão: Se mandamos mensagens a explicar que algo nos chateou e a solicitar um encontro para explicar tudo, inclusivé um pedido desculpas, temos como presente o silêncio e o afastamento. Se não mandássemos mensagem é porque éramos umas cabras insensíveis que andavam ali a gozar com a vontade de lutar por uma amizade que os meninos têm. Então decidam-se! Que eu nunca vi nenhuma amizade crescer sem diálogo e compreensão.



E, para finalizar, não podemos esquecer aquela teoria de que o silêncio mostra muito dos sentimentos que têm por nós. Ok! Ninguém pediu para andarem sempre com a palavra que começa por A nas vossas bocas 24 horas por dia, ninguém pediu para fazerem surpresas dia sim, dia não, ninguém pediu para fazerem publicidade ao que sentem num placard electrónico... Pedimos que não sejam o oito e o oitenta. Não queremos grandes feitos e gestos uma ou duas vezes por ano. Queremos atenção, dedicação e demonstração de carinho qb e sem ser em alturas chave. Não queremos que tenham medo de falar em sentimentos mas antes que contem conosco quando surgem dúvidas e confusões. Mas não... Temos é de tirar um curso para perceber o silêncio que tanto pode querer dizer Já não tenho paciência para ti! como pode querer dizer Tenho medo de te perder!

Depois não se queixem quando surgem discussões e mal-entendidos... É que ainda não somos adivinhas! Ás vezes lá temos sorte mas nem sempre acertamos... E poupavam-nos a morte de muitos neurónios e o ataque de ansiedade e nervos! Mas isso já são outras histórias... *



Com o apoio de Cátia Gonçalves...

9 comentários:

Cátia Lima disse...

Hum...belo tema...o silêncio.

Como dizes inicialmente o silêncio por vezes é necessário, esperado, agradável, preciso, anciado...

Mas esta palavra pode significar muita coisa:
- para que palavras quando o silêncio diz tudo?
- para que palavras desnecessárias e excessivas, quando poucas palavras podem exprimir tudo?
- para que palavras quando um olhar ou um pequeno toque fazem a diferença?

Mas depois há o silêncio "ensurdecedor", aquele que magoa, aquele que destroi, aquele que não perecebemos porque existe entre duas pessoas...esse doi, esse deixa-nos confusos, esse leva-nos á loucura, esse precisa de palavras.

Nunca uzes o silêncio comigo, quando as palavras são necessárias, mas usa-o quando achares que devo entender sem palavras e sim com gestos e olhares.

Beijos amigas

Rosa Cueca disse...

Eu gosto de alguns silêncios - assim aqueles partilhados.
Mas como regra geral não me calo e sou uma gralha da pior espécie é mítico conseguirem calar-me assim lol

Celinha 007 =) disse...

Pois é Rosa, eu também gosto desse silencio quando é livre de mal entendidos e só tem como objectivo a partilha calada entre 2 seres! =) Desses gosto eu até demais... Uma beijoca enorme*

cathy disse...

Também escrevi há pouco tempo sobre a ambivalência do silêncio. Cheio de paradoxos, não é? Como vocês dizem podem ser sinal de força - uma ausência de palavras que, na força de um olhar ou de um gesto, diz tudo; no entanto, pode levar a todos mal-entendidos, a tantas separações, a tantas mágoas...sobretudo qd não compreendemos o "porquê".E aí a "ausência" torna-se mesmo uma tragédia presente.
Tenho saudades das tuas visitas:)
bjinho grande e bom Advento

Sophia disse...

Há silêncios e silêncios!!! É bem verdade!
Odeio mal entendidos.
E concordo que não há amizade que cresça sem comunicação...
E digo mais... acredito na amizade como base de qualquer relação! =)

Tiago disse...

O silêncio advém das pessoas serem fracas, medrosas, inseguras. Até os fortes, corajosos e seguros passam por fases dessas.

E depois há ainda a vertente Mark Twain:
"Better to keep your mouth shut and appear stupid than to open it and remove all doubt."

Nelson Silva disse...

Ja pensaram que uma das primeiras coisas que aprendemos é a fazer silencio, apesar de nunca nos terem ensinado de como usa-lo bem???
mal nascemos e começamos a chorar, dizem chui chui...pronto ja passou....mas nunca nos dizem....que nos mandam calar para nao ter que se preocupar...
Existe depois aquelas pessoas que nao fazem ideia de quem sao para os outros, e o silencio nao passa de uma normalidade despreocupada, ou entao um simples nao quero saber...
a questão é PORQUE É QUE AS MULHERES E ALGUNS HOMENS QUE SE QUEREM FAZER PASSAR POR SENSIVEIS CONTINUAM A QUERER EXPLICAR AQUILO QUE NAO TEM EXPLICAÇAO PARA UNS E QUE TEM TODA A LOGICA PARA OUTROS???
imaginemos por momentos que somos todos boas pessoas.... e o q fazem as boas pessoas para evitar chatices desnecessarias, mal entendidos, conversas quando as cabeças estao a explodir e se fala com o coraçao??? eu respondo....SILÊNCIO!!!
Não se torna mais forte, nem mais fraco, nem melhor nem pior por usar o silencio... silencio usamos todos, e se temos que respeitar as palavras e opinioes uns dos outros...
porque nao o silencio???

Nelson Silva disse...

Mas a razao melhor para se fazer silencio é ainda quando não se sabe o que dizer.....
No hard/feelings......

Celinha 007 =) disse...

E é quando não se sabe o que dizer mas já se disse tudo que admiro o silêncio. E admiro-o entre nós, por muito que tenhas pensado o contrário! A revolta que tanto me assustou demonstrou ser mais um passo em frente*

Contigo nunca quero ter hard feelings =) *