sábado, março 07, 2009

Abraças-me?

Acordei cedinho hoje. Contemplei o sol que pairava do lado de fora da janela. Já não me lembrava de acordar cedo a um sábado...

Houveram certas imagens que não me largaram durante toda a noite... Eram imagens de sorrisos, de dedicação, de simplicidade que provocaram em mim uma compaixão gigantesca. Admirei, vezes sem conta, cada passo, cada traço daqueles rostos, cada temor primário...
Admirei a originalidade, a força e a ousadia... Admirei cada abraço...



Concerteza não vos estou a mostrar nada de novo. Também não o era para mim... Mas hoje, mediante o desafio que me foi lançado, estas imagens fazem todo o sentido. Transmitem muito mais do que um dia transmitiram e comportam em si uma força extraordinária que quero (tentar) incutir naqueles que amanhã (possivelmente) me "ouvirão".

Quantas foram as vezes que necessitámos de um abraço e simplesmente não o tivemos?

Quantas vezes o simples aconchego seria a salvação de um dia, de uma vida?

Quantas vezes o outro precisou de um abraço da nossa parte e não o teve porque tinhamos coisas mais importantes para fazer?

É difícil percebermos o que esperam de nós... e quando esperam! Mas é fácil estarmos atentos e, mesmo que tenhamos dúvidas, não hesitar em oferecer gratuitamente os nossos braços, em forma de abraço.

Uns acharão que é uma perda de tempo, outros dirão que uma população envelhecida não cederá a uma ideia ousada de jovens "tão pouco presentes" na sua comunidade. Eu digo que vale a pena tentar. Digo que a ideia não é absurda e que, mesmo que não admitam, a alegria que um abraço comporta mudará, nem que seja um pouco, o dia daquele que o dá e que o recebe.

Chamem-me sonhadora, utópica, ingénua. Eu sei o quanto é terapêutico um abraço, um sorriso, uma entrega. Sei o quanto já me mudaram os dias... Sei o quanto já mudaram os dias de alguém... Tudo porque a proximidade, o carinho e a atenção oferecidas em (a)braços não são mais do que uma forma de amor desinteressado.

Mesmo que no fim a resposta não seja a melhor irei sorrir porque simplesmente tentei...

"Mais importante que chegar é partir!"

5 comentários:

Cátia disse...

como é possivel te teres levantado cedo da cama?!? Bem deve ter sido algo muito bom, se não desconfio que não acordavas cedo:P

Sim, é verdade...muitas vezes precisei de um abraço, de sentir aquele aconchego e não o tive...mas é normal numa sociedade tão agitada e ocupada como esta onde estamos inseridos..

Confesso, que por vezes tenho medo de me dirigir a alguém e oferecer-lhe um abraço..penso se serei bem interpretada e então refugio-me no meu cantinho e tento pensar que seria uma parvoice abraçar essa pessoa...:S

Por vezes és sonhadora..mas é isso que te torna especial e diferente!! Por mais que te digam k não dá tu não desistes de lutar...não desististe de mim e eu ficarei eternamente grata!!

E respondendo a 1ª pergunta....SIM eu abraço-te sempre que tu quiseres!!

Love you :p

Mozka Tché Tché disse...

Tens que ver o final do Love Actually :)

Cátia Lima disse...

Em resposta à primeira pergunta: Imensas mesmo.
Em resposta à segunda:muitas vezes certamente.

Quem me conhece, sabe que não sou muito de abraços e beijinhos, não sei porque...só sei que sou assim.

Muitas das vezes, talvez seja o que a Cátia diz, que tenho medo que interpretem mal e não o faço...

Mas a verdade é que nestes ultimos meses, houve alturas em algumas pessoas me deram abraços que parece que tiraram um peso das costas, que me fizeram suspirar de alivio, que me transmitiram carinho e amizade...e foi MUITO BOM...preciso de mais desses, de abraços.

Realmente quando me disses-te hoje que a terapia para a minha tristeza era abraçar...depois vim ver o teu blog e li, e reli, como é costume, e depois lembrei-me das nossas conversas recentes, e com outras pessoas especiais também, lembrei-me dos abraços que alguns me deram...e senti saudades e falta realmente...

PRECISO REALMENTE DOS VOSSOS ABRÇOS, E QUE ME ENSINEM TAMBÉM A NÃO TER MEDO DE DEVOLVER ESSES MESMO ABRAÇOS, OU SIMPLESMENTE OFERECÊ-LOS POR INICIATIVA PRÓPRIA...

Adoro-te, o teu sorriso, a tua força, a tua precistência, e os teus abraços...

GMDT

Maria disse...

Sou fã de abraços, beijinhos e palavras bonitas. Sou pelas demonstrações de amor a toda a hora, todos os dias e a todos os que amo! Sou dependente das pessoas e sou profundamente apaixonada pelos abraços dos amigos. Continuo a achar, ainda que ingenuamente, que não aguentava sem os tais beijinhos, abraços e palavras bonitas que me vão mostrando a cada minuto o quanto amo e o quanto me amam.
É, acima de tudo, revitalizante, isto dos "free hugs".
:)
Gosto muito de ti.
Um abraço do tamanho do mundo *

Ivan Mota disse...

Agora fizeste-me lembrar os excêntricos Dananananaykroyd. Mensagens de amor e abraços foram aos pontapés. O conceito é francamente bom, pacífico, mas quando em excesso .. tende a perder o significado.