quarta-feira, agosto 02, 2006

Como agarras a vida?


Ontem, numa reunião do grupo de jovens, perguntaram-me como agarrava a vida! Numa altura em que me considerava bem, sem grandes complicações para resolver, eu soube responder! Fui logo das primeiras (para variar :P). Hoje, porém, vendo que existem coisas que me fazem sentir encurralada, a resposta já não sai tão facilmente. O que mudou de ontem para hoje? Muita coisa e ao mesmo tempo quase nada... Quando aparecem pedras no nosso caminho, que nos fazem temer que planos por que tanto ansiavamos podem estar condenados tudo muda... ou melhor... tudo mudou para mim! Já há algum tempo que venho a notar em mim que só consigo escrever qualquer coisa neste blog quando estou menos bem com a vida, quando procuro respostas ou saídas para os problemas ou pseudo-problemas que me assolam. Porquê? Porque não consigo partilhar a emoção de um abraço sincero, ou de um beijo mais expressivo, ou até mesmo a emoção de estar viva? Não sei. Não sei mesmo e a mais pura verdade é que parece que o meu cérebro bloqueia quando estou feliz. Ou então pode ser só egoismo que me faz não querer partilhar o que de bom me acontece!
Então e que posso eu fazer para agarrar a vida neste momento? Neste preciso momento em que tudo o que estava mais ou menos certo passou a incerto nuns segundos? E eu não aprendo... E eu continuo a sonhar com algo que posso ter como certo quando sei perfeitamente que num segundo a vida muda... Penso que é a minha parte optimista a falar! Penso que seja ela que se agarra com o que pode e com o que não pode àquilo que quero para um futuro. Mas no entanto não é tão segura assim! Basta algo que a assombre para ela se deixar abater! Só que por mais estranho que pareça não desiste! Pode ser vítima de mil e uma armadilhas mas não desiste! Porquê? Ou melhor... Para quê insistir em acreditar no futuro? Porque só assim sei que estou a agarrar a vida, não deixando que as tempestades que assolam toda a gente acabem com o sonho que comanda a minha vida!

PS: Só não há solução para a morte, por isso acho que vou mesmo começar a dar uso ao meu cérebro de maneira a encontrar uma solução para que possamos continuar de mãos dadas! Eu sei que farás o mesmo.

1 comentário:

Cátia (C.F.1000) disse...

Sabes linda...
Quando estamos tristes os nossos sentimentos ficam mais frágeis, mais com vontade de saltarem para fora...
Quando estamos tristes os nossos pensamentos confudem-se, entram em turbilhão, são tantos que nos confundem...sentimos-nos mais frágeis e isso leva-nos a escrever mais, a desabafar mais!
Muitas vezes acontece o mesmo comigo, sinto que a minha vida tem um rumo marcado, que me vai acontecer exatamente assim porque é isso que quero, é isso que parece...mas realmente basta uma palavra mal dita, um gesto mal feito...e prnto, tudo muda.
Mas nunca desistimos né? queremos mesmo que aconteça como sonhamos, o sonho leva a vida para a frente... por isso temos que insistir!